Artigos

Qual Cisne Branco que em noite de lua, vai deslizando num lago azul. O meu navio também flutua, nos verdes mares de norte a sul”.

 

O “Cisne Branco”, um dos veleiros mais bonitos do mundo, é um navio de representação da Marinha do Brasil, responsável por levar a bandeira e a cultura brasileira a outros países e por resgatar e dar continuidade a uma história milenar entre o homem, o mar e os navios, cultuando as mais puras tradições navais. Serão sete meses longe de casa, entre fevereiro e agosto de 2010, participando da regata. Os dias no mar, no entanto, fazem parte da rotina da tripulação do navio brasileiro.

 

Antes de partir para essa viagem, o “Cisne Branco” participou, junto aos outros navios, do evento “Grandes Veleiros Rio-2010”, no Rio de Janeiro, onde os nove navios veleiros participantes ficaram abertos à visitação pública.

 

O encontro foi realizado pela primeira vez no Brasil. Ao longo dos sete dias de evento, de 31 de janeiro a 6 de fevereiro, mais de 85 mil pessoas visitaram os navios atracados no Píer Mauá.

Em eventos paralelos, apresentaram-se no local as Bandas Marcial e Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais, a bateria da Escola de Samba Unidos da Tijuca e diversos blocos carnavalescos.

A sociedade carioca assistiu, ainda, a dois desfiles navais dos veleiros (de chegada e de partida), realizados ao longo da orla da cidade que, segundo os organizadores, foi assistido por mais de 1 milhão de pessoas.

 

Na primeira etapa da “Velas Sudamérica 2010” (Rio de Janeiro–Mar del Plata), o NVe “Cisne Branco” foi o primeiro colocado geral, por ter obtido o melhor tempo corrigido entre todos os participantes. O veleiro brasileiro foi, também, o “Fita Azul”, Line of Honours, prêmio destinado ao primeiro navio a cruzar a linha de chegada, independentemente da classe e do tempo corrigido. Em Mar del Plata, o “Cisne Branco” recebeu a visita de 65 mil pessoas, além de receber o título de “Visitante Ilustre da Cidade de Mar del Plata”, entregue durante cerimônia realizada na Câmara dos Vereadores. EURO-AMÉRICA 2009

No ano passado, o Navio-Veleiro completou 181 dias consecutivos de viagem, ao participar da Comissão “Euro-América 2009”, com passagens pelos Portos de Salvador, Fortaleza, Belém, San Juan (Porto Rico), Hamilton (Bermudas), Baltimore (EUA), Norfolk (EUA), Boston (EUA), Halifax (Canadá), Belfast (Irlanda do Norte), Delfzijl (Holanda), Oslo (Noruega), Lisboa (Portugal), Funchal (Portugal), Mindelo (Cabo Verde), Natal e Maceió.

 

Durante a comissão, o navio participou do maior evento náutico promovido pela Sail Training International (STI) e American Sail Training Association (ASTA), chamado Tall Ships Atlantic Challenge 2009 (TSAC 2009). Entre os dias 20 de julho e 13 de agosto, o “Cisne Branco” participou da quinta etapa dessa competição, com mais 12 veleiros de diversas nacionalidades.

 

A regata visava a cruzar o Atlântico Norte, saindo de Halifax, indo até Belfast. O tempo total estimado para a travessia foi de 23 dias, sendo que o “Cisne Branco” completou o percurso em 15 dias, conquistando a “Fita Azul”, sagrando-se primeiro lugar da Classe A e segundo lugar geral entre classes. Após cinco meses e meio afastado do Brasil, o NVe “Cisne Branco” atracou em Natal, em 13 de outubro Natal, em 13 de outubro de 2009. Ávida para visitar o navio, a população local compareceu em massa, mostrando o interesse, o orgulho e o carinho que o povo brasileiro cultiva para com o navio e a Marinha. Foram aproximadamente 1.600 pessoas, no único dia de semana no qual o navio permaneceu aberto à visitação.

 

O navio atracou no Rio de Janeiro no dia 28 de outubro. No período da viagem, foram visitados 17 portos e navegadas aproximadamente 18 mil milhas. Na viagem, foram realizados, ainda, 108,5 dias de mar e recebidas, cerca de 80 mil pessoas a bordo, entre visitantes e convidados.

 

“CISNE BRANCO”

 

O “Cisne Branco” é um veleiro de grande porte (Tall Ship). Construído em Amsterdã (Holanda), pelo Estaleiro Damen, teve sua quilha batida em 9 de novembro de 1998, tendo sido lançado ao mar e batizado no dia 4 de agosto de 1999. Foi entregue à Marinha do Brasil no dia 4 de fevereiro de 2000 e incorporado à Armada no dia 9 de março de 2000.

 

Realizou sua viagem inaugural – a travessia comemorativa dos “500 anos de Descobrimento do Brasil” – cruzando o Atlântico, da mesma forma que o fez Pedro Álvares Cabral em 1500.

 

O projeto do “Cisne Branco” inspira- se nos desenhos dos últimos “Clippers” construídos no fim do século XIX. O nome do navio decorre do verso inicial da Canção do Marinheiro. Vale a pena citar que a palavra “cisne”, na simbologia heráldica, significa feliz travessia e bom augúrio. O “Cisne Branco” é o terceiro navio da Marinha do Brasil a ostentar esse nome.

 

O primeiro foi um veleiro de 79 pés (24 m) de comprimento, construído em madeira, que possuía dois mastros e era tripulado com 20 homens. Realizou apenas uma viagem de instrução com Guardas-Marinha, no ano de 1979. O segundo navio a ostentar o nome foi um veleiro de 83 pés de comprimento, com mastro e casco construídos em alumínio. Esse veleiro substituiu o primeiro e realizou viagens de instrução com Guardas-Marinha, nos anos de 1980 a 1986, quando passou à Escola Naval, para servir como veleiro de instrução, até o seu descomissionamento no ano seguinte.

 

Fonte - Marinha em Revista

 

Cisne Branco 1

Se pretender obter textos completos, informações complementares e contatos na sua área profissional  inscreva - se em http://soamarportugal.org

Envie-nos o seu artigo

Deseja ver o seu artigo publicado na SOAMAR Portugal? Envie-nos o seu artigo por através do formulário para envio. Após ser revisto e aprovado procederemos à publicação.